TRABALHO EM REDE

Somos uma rede de organizações da sociedade civil que compartilham a visão de um mar saudável e diversificado.

0

Organizações

Único pela sua representatividade e alcance geográfico, o Fórum reúne vozes da conservação para alcançar a integridade ecossistêmica e a gestão eficaz do Mar Patagônico.

0

Países

O que distingue esta rede é a abordagem em larga escala, inspirada pelo fato de que os processos dos ecossistemas e seus componentes vivos transcendem as fronteiras políticas.

Membros

Grupo Diretor

Os membros do Fórum se reúnem anualmente em sessão plenária e articulam suas ações através de um grupo diretor e grupos de trabalho ad hoc. Dois coordenadores implementam as decisões acordadas e promovem linhas de ação.

Alejandro Vila

Presidente

Biólogo e doutor em Ciências Biológicas pela Universidade de Buenos Aires. Ele trabalhou em ecologia e conservação de mamíferos e aves, assim como em ecossistemas marinhos e terrestres do Cone Sul da América.

Ele tem 30 anos de experiência em educação, manejo, pesquisa e gestão aplicada à conservação. Ele trabalhou para a Universidade de Buenos Aires, Fundação Vida Silvestre Argentina, WWF e WCS, assim como para a Administração de Parques Nacionais; o Ministério da Agricultura, Pecuária e Pesca; o Instituto Nacional de Tecnologia Agrícola; a Universidade Nacional da Patagônia Austral; a JICA; Mitsubishi Research Institute Inc. e GEF/PNUD (Fundação Patagônia Natural). Ele publicou artigos e livros científicos e de divulgação. Atualmente ele é o Gerente do Programa WCS Cone Sul.

Diego Taboada

Vice-presidente

Membro fundador e Presidente do Instituto de Conservação de Baleias (ICB).

Com formação em Engenharia Agrícola e depois em comércio exterior, ao longo dos anos ele desenvolveu sua vocação relacionada à conservação da biodiversidade. No início dos anos 90, ele se juntou à equipe liderada pelo Dr. Roger Payne, que iniciou em 1970 o Programa Baleia-franca-austral na província de Chubut, Argentina. Sua dedicação lhe permitiu formar uma sólida equipe de trabalho que fortaleceu a continuidade dos estudos científicos e das ações de conservação e educação realizadas pelo ICB.

Yacqueline Montecinos

Secretária

Bióloga Marinha e MPhil em Biodiversidade, Conservação e Gestão na Universidade de Oxford.

Com quase 18 anos de experiência em conservação marinha, Yacqueline especializou-se em planejamento espacial marinho, com foco no desenho e criação, de forma participativa com as principais partes interessadas, na declaração de figuras de conservação para a proteção de habitats críticos de espécies emblemáticas, como pequenos e grandes cetáceos. Neste sentido, ela construiu sua experiência participando direta e ativamente em projetos liderados por diferentes ONGs e universidades. Atualmente, ela atua como coordenadora da biodiversidade e da política marítima da WWF-Chile e como coordenadora do projeto regional da WWF, Corredor Marinho do Pacífico Leste.

Claudio Campagna

Fundador, ex-presidente e membro consultor

Cientista e conservacionista argentino com formação em estudos sobre o comportamento de mamíferos marinhos e sua conservação. Ele é diretor do Programa Marinho da WCS Argentina, ex-presidente e fundador do Fórum para a Conservação do Mar Patagônico. Atualmente, ele faz parte do Grupo de Diretores como membro consultor.

Ele foi fundador e membro do Conselho de Administração de várias organizações não-governamentais nacionais e internacionais dedicadas à conservação. No âmbito do Fórum, ele projetou e promoveu iniciativas de cooperação científica transdisciplinar e internacional com o objetivo de compreender e disseminar os valores ecológicos dos mares que circundam o Cone Sul. Como parte do Projeto WCS-CONICET “Mar e Céu” (“Mar y Cielo”), promoveu a criação de áreas protegidas oceânicas, das quais o país (Argentina), agora tem três. Ele contribuiu para a criação e fortalecimento do Programa Nacional “Pampa Azul”, criado no âmbito do antigo Ministério da Ciência. Hoje ele trabalha para a conservação das espécies marinhas através da ciência e da ética ambiental. Ele publicou artigos e livros sobre divulgação científica, ensaios e ficção.

Ana Di Pangracio

Advogada argentina, formada pela Universidade de Buenos Aires, especializada em Direito Ambiental (Universidade Católica Argentina). Bolsista pelo Programa Linnaeus-Palme da Suécia (Mestrado em Gestão e Política Ambiental, Universidade de Lund), e alumni do Programa de Liderança de Visitantes Internacionais do Departamento de Estado dos EUA.

Formada pela Clínica de Direito Ambiental da FARN. Ela trabalhou na Fundação Vida Silvestre Argentina, como consultora ambiental, e como advogada litigiosa no setor privado. Ela também lecionou em instituições como na Universidade do Salvador, Universidade de Buenos Aires, Universidade de Palermo, ITBA, Escola do Corpo de Advogados da Procuradoria do Tesouro e Ordem Pública dos Advogados de San Isidro. Desde 2010 ela coordena a área de Biodiversidade na FARN, e desde maio de 2013 ela é sua Diretora Executiva Adjunta.

Catherine Dougnac

PhD. em Ciências Florestais, Agrícolas e Veterinárias, com foco em Medicina da Conservação.

Catherine lidera o projeto, a implementação efetiva e a promoção do Programa de Conservação (terrestre, marinho e de educação), através do desenvolvimento de atividades de gestão, pesquisa e divulgação derivadas dos planos de trabalho e estratégias que a WCS tem no Chile e no Cone Sul. Atualmente ela é a diretora científica da WCS Chile.

Sérgio Estima

Sérgio Estima

Diretor do NEMA – Núcleo de Educação e Monitoramento Ambiental.

Ele é formado em Ecologia pela Universidade Católica de Pelotas (2002). Atualmente é Coordenador de diferentes projetos da NEMA, Coordenador do Projeto “Pinípedes do Sul” e Diretor do Núcleo de Educação e Monitoramento Ambiental.

Andrés Estrades

Fundador da ONG Karumbé em 1999. Atualmente exerce o cargo de Diretor Executivo. Técnico em Museologia, com estudos universitários incompletos em Biologia e Antropologia. No Karumbé, desenvolveu programas de conservação em conjunto com pescadores artesanais e um programa de identificação de tartarugas marinhas.

Ele desenvolveu vários centros de interpretação ambiental, assim como programas de educação ambiental. Trabalhou intensamente para a criação de áreas marinhas protegidas no Uruguai, e atualmente é assessor da CAE de Cerro Verde, Rocha. Sua experiência inclui pesquisas e publicações científicas sobre o status, dieta, migrações e ameaças, bem como aspectos educacionais e de conservação das espécies de tartarugas marinhas no Uruguai e no Oceano Atlântico Sul. Membro ativo do Grupo de Especialistas em Tartarugas Marinhas da UICN e da Sociedade Internacional de Tartarugas Marinhas (International Sea Turtle Society). Membro do Fórum desde 2010.

Valeria Falabella

Bióloga marinha, Diretora de Conservação Costeiro-Marinha da Wildlife Conservation Society-WCS
Argentina. 

Formada em Biologia, seus primeiros anos de pesquisa se concentraram na ecologia, demografia, comportamento e fisiologia dos elefantes-marinhos na Patagônia. Ela atualmente lidera projetos de conservação marinha baseados em área. Em particular, sua experiência inclui a integração e análise de dados georreferenciados para a identificação de áreas prioritárias de conservação, o desenho de áreas marinhas protegidas (AMPs), estratégias para a implementação efetiva de AMPs e advocacia para a criação de novas AMPs. Ela faz parte da equipe de WCS, focada na criação das primeiras AMPs oceânicas, Namuncurá-Banco Burdwood I e II, e Yaganes.

Eduardo Francisco

Médico veterinário formado pela Universidade de Buenos Aires, especializado em medicina de animais silvestres nas áreas de bem-estar animal, controle, reprodução, criação assistida e reabilitação.

Ele tem 32 anos de experiência de trabalho; no Zoológico de Buenos Aires e no Aquário Nacional de Buenos Aires, participou de projetos de conservação e na reabilitação de pinguins e tartarugas marinhas, e no resgate e reabilitação de leões marinhos e focas, entre outras espécies.

Na Fundação Temaikèn atua como Diretor Científico administrando as áreas de Fauna, Educação, Conservação e Pesquisa; atualmente é Diretor de Relações Científicas da Fundação Temaikèn e Coordenador do Comitê de Bem-Estar Animal da Associação Latino-Americana de Parques Zoológicos e Aquários.

Esteban Frere

Biólogo e doutor em ecologia marinha pela Universidade de Buenos Aires, Argentina. Ele estudou a ecologia e a conservação das populações de aves marinhas (pinguins, cormorões, albatrozes e petréis), na costa da Patagônia nos últimos 30 anos.

Desde 1993, ele é professor da Universidade Nacional da Patagônia Austral e pesquisador do CONICET, Argentina. Em 1996, com um grupo de colegas, começou a trabalhar no impacto da pesca com espinhel nas aves marinhas, com especial interesse nos albatrozes e petréis. Desde 2006, ele é o coordenador sulamericano do Programa Marinho da BirdLife International, com base em Aves Argentinas.

Pablo (Popi) García Borboroglu

Doutorado em Biologia e conservacionista. Presidente-fundador da Global Penguin Society, pesquisador do CONICET (Argentina) e professor da Universidade de Washington.

Há três décadas ele trabalha na área de conservação marinha e pesquisa com ênfase especial nos pinguins. Ele também trabalha na designação, planejamento e implementação das áreas marinhas protegidas.

Ele liderou esforços globais de conservação em ciência, manejo e educação para beneficiar os pinguins em vários países, incluindo a criação e liderança do Grupo de Especialistas em Pinguins da UICN, a designação da maior Reserva da Biosfera de Argentina e a criação da AMP de Punta Tombo.

Ele é Duke University e Pew Fellow 2009, ganhador do Whitley Gold Award, National Geographic Buffet Award 2018 e Menção Honrosa do Congresso Argentino.

María Carolina Jarpa Varela

Mestrado em Meio Ambiente e Assentamentos Humanos da Universidade Pontifícia Católica do Chile, com formação e experiência multidisciplinar, e estudos em ecologia e artes visuais.

Carolina desenvolveu experiência profissional em projetos relacionados ao desenvolvimento sustentável e à conservação ambiental marinha e costeira, assim como na organização e coordenação de projetos, a nível nacional e internacional, fazendo parte da coordenação do IMPAC-4 (International Marine Protected Areas Congress), no Chile. Ela gerenciou o trabalho conjunto com vários atores-chave nas áreas de ONGs, governo e academia. Em 2018, coordenou o processo de realização do workshop de orientações para a criação e implementação de AMPs, da qual participaram ONGs do Fórum e ONGs chilenas.

Ela foi Coordenadora do nó chileno do Fórum para a Conservação do Mar Patagônico, e atualmente está trabalhando como Officer do Projeto Patagônico Chileno em The Pew Charitable Trusts.

Fernando Miñarro

Graduado em Ciências Biológicas, especializado na área de Ecologia. Membro da Fundação Vida Silvestre Argentina desde 2002.

Entre 2007 e 2016, coordenou os Programas Pampas e Gran Chaco. Desde 2017, ele atua como Diretor de Conservação, função da qual coordena tecnicamente o desenvolvimento do Plano Estratégico 2018-2025 da Fundação Vida Silvestre Argentina. A partir deste papel, ele se expandiu e abordou a gestão e desenho de estratégias para enfrentar desafios ambientais que incluem questões adicionais como a conservação da biodiversidade costeiro-marinha e da Floresta Atlântica do Alto Paraná, pesca sustentável, governança, mudança climática, cidades sustentáveis, entre outras.

Mayra Rocha

Formada em Design Gráfico pela Universidade do Estado da Bahia/Brasil, também estudou Belas Artes na Universidade Federal. Artista com formação multidisciplinar e experiência em lidar criativamente com desafios, explora ferramentas de desenvolvimento humano com foco em educação, conscientização, conexão e conservação.

Trabalha há mais de 14 anos em projetos de conservação marinha no Brasil e Uruguai. Se dedicou ao setor de comunicação do Projeto Tamar em Praia do Forte, Bahia, durante nove anos. Hoje é coordenadora de Organização para a Conservação de Cetáceos (OCC).

Roxana Schteinbarg

Engenheira Agrônoma, formada pela Universidade de Buenos Aires, Argentina. Co-fundadora do Instituto de Conservação de Baleias (ICB) na Argentina. Atualmente, coordena a área de comunicação e conservação.

Em 1991, ela começou a colaborar como voluntária da Ocean Alliance / Whale Conservation Institute, o que representou um ponto de inflexão em sua vida. Em 1996, ela co-fundou o Instituto de Conservação de Baleias (ICB), junto com o Dr. Mariano Sironi e Diego Taboada. Ela foi a criadora do programa “Trazendo as Baleias para sua Escola”, que já alcançou a mais de 6000 alunos em três províncias argentinas. Ao longo de 25 anos de trabalho, ela se destacou por suas ideias criativas e pela gestão de projetos ligados à área de conservação e comunicação.

Ela é porta-voz e representante do ICB na Comissão Baleeira Internacional. Sua maior ambição é acabar com a caça das baleias e proteger os oceanos das ações de origem antrópicas. No âmbito do Fórum, ela promoveu a reativação do Grupo de Trabalho Mar Patagônico Limpo.

Leandro Tamini

Biólogo argentino, formado pela Universidade de Buenos Aires. Ele faz parte da equipe de Aves Argentinas desde 2006 e atualmente é o coordenador do Programa Marinho.

Sua experiência mais destacada está na busca de soluções práticas para reduzir as interações entre as aves marinhas e a pesca comercial e esportiva, um assunto em que ele vem trabalhando desde 2003. Também trabalhou em vários projetos relacionados à ciência cidadã, poluição e descarte pesqueiro.

Andrea Michelson

Andrea Michelson

Coordenadora

Bióloga especializada em planejamento, gestão e monitoramento de projetos.

Ela é bióloga com mais de 19 anos de experiência em biodiversidade e conservação da natureza. Ela trabalhou principalmente na criação, planejamento e gestão de áreas protegidas e esteve envolvida em projetos e estratégias para a conservação de espécies e ecossistemas, especialmente em grande escala, tanto na Argentina como na região.

Daniela Castro

Coordenadora (Setor do Chile)

Com 20 anos de experiência trabalhando em várias iniciativas públicas e privadas de conservação na Patagônia chilena, ela se especializou na articulação de grupos de ONGs e comitês inter-institucionais para a tomada de decisões consensuadas e ações conjuntas.

Sua experiência profissional a levou da conservação terrestre à marinha, integrando ambos os ecossistemas e apostando no trabalho colaborativo com uma diversidade de atores para criar novos paradigmas. Ela tem experiência no trabalho em rede, facilitação e gestão de equipes, trabalhando com ONGs de conservação no Chile (coordenou o coletivo Patagônia Mar e Terra, e liderou a área técnica do Conselho de Defensa da Patagônia Chilena), e com atores territoriais e agências estatais.

Ela se formou como engenheira agrícola na Universidade Católica do Chile e concluiu um Mestrado na Cátedra UNESCO em Desenvolvimento Sustentável, Biodiversidade e Planejamento Territorial na França. Ela nasceu no Chile, cresceu na África e na Patagônia, onde viveu e trabalhou por mais de quinze anos, tanto na conservação privada com Tompkins Conservation, quanto na esfera pública dos parques nacionais com CONAF. Hoje ela vive na cidade de Valdivia.

Mantenha-me informado

Subscreva a nossa newsletter gratuita